quinta-feira, julho 06, 2017

Ataques de Pânico





Nunca falei sobre isto, acho: dos ataques de pânico.
Sofro de ataques de pânico. Por vezes, não consigo sair de casa. Penso.
«hoje vais conseguir ir até ao parque ou ir aquele concerto que gostavas tanto. Ou aquele bailado.» Talvez consigas, digo. Esforço-me e não consigo.

O médico é uma besta. Diz piadas baratas e  completamente ignorantes acerca de ataques de pânico. Sofro do síndrome da bata branca. A minha tensão arterial sobe cada vez que vou ao médico. Não tenho culpa. O médico não entende, diz piadas horrorosas para os meninos aprendizes de doutores à beira dele. O meu coração dispara. Fico com taquicardia e só quero sair dali para fora. Resultado: evito ir ao médico. De facto, deixei de ir ao médico. Não suporto ir aquele médico. Fiquei sem serviço nacional de saúde, porque os meus ataques de pânico  me impedem de ir ao médico.

Não consigo entrar num centro comercial sozinha. Mesmo acompanhada é difícil. Os corredores "estendem-se" à minha vista. Quando vou acompanhada, por vezes, a coisa corre bem, dependendo muito da companhia. Um amigo meu, mesmo muito chegado, disse um dia: isso é uma estupidez. SE eu conseguisse andar, eu ia, disse ele. Aconteceu que deixei de comunicar tão frequentemente com esse "amigo".

Há muita falta de informação sobre ataques de pânico. Muita gente que desvaloriza. Muita gente que diz (ainda) ser uma espécie de histeria. Talvez seja. Gostava que me dissessem na minha cara que ataques de pânico é falta de homem, como se dizia antigamente. Será que os homens que sofrem de ataques de pânico são todos homossexuais? Ou será que têm falta de mulher? Ou será que as teorias freudianas estão completamente ultrapassadas. O meu amigo Pedro (psicólogo, ele) explicou-me muita coisa. Ajudou-me muito. Mal sabe ele que estou numa daquelas crises de "morte iminente". Foi ele que me disse, um dia: -  o que tu sentes chama-se "síndrome de pânico ou de morte iminente". Parece um ataque de coração mas não é. Hiperventilas e podes desmaiar. Tem calma e respira para dentro de qualquer saco que tenhas à mão, conta números ou nomes de pessoas. Vai passar.

Obrigada Pedro. És um homem impecável. Dos melhores.