sexta-feira, junho 30, 2017

Simone Veil (1927-2017)



Simone Veil, 1927-2017
"Parmi ceux qui combattent aujourd’hui une éventuelle modification de la loi répressive, combien sont-ils ceux qui se sont préoccupés d’aider ces femmes dans leur détresse". "Combien sont-ils ceux qui, au-delà de ce qu’ils jugent comme une faute, ont su manifester aux jeunes mères célibataires la compréhension et l’appui moral dont elles avaient un si grand besoin ?" Simone Veil

Simone Veil, a porté une loi dépénalisant l'avortement en France, promulguée le 17 janvier 1975. Depuis, le texte a été enrichi et les droits acquis, mieux protégés.

It’s been a long time since I last saw you









Ana Laguna e Mats Ek, “Memory” coreografia de Mats Ek, musica de  Niko Röhlcke, 2017 Benois de la Danse Laureates Gala, Bolshoi Theatre, Moscovo, Russia (May 31, 2017)
Fotos de Jack Devant


It’s been a long time
Since I last saw you
But I don’t care where you’ve been
Cause you ain’t felt anything
Until you’ve been with me
So come here
This very instance
For tonight’s the night
That I’m going to be with you.

My love is like theft
A redistribution of assets
My partner in crime
Tell me it is just so
By opening the gates
Spreading your legs wide
Lying bare your defences
So that I may plunder
All the treasures buried within
Despoil the sacred sanctuaries
Until you admit defeat
Capitulate utterly
And surrender possession
Of yourself in all entirety.

Love is an assassination
An elimination of identity
Now I do not know
Where I finish and you begin
Is it your mouth or mine
That forms the words

That remain forever unsaid?
You always possessed
So many fine things
While I such little.
You’re a sensitive girl
You know it’s not fair
You know it’s not right
Isn’t it about time
That you aided and abetted
Become my accomplice

(não consegui encontrar o nome do autor do poema)

Vou ver hoje


I can't have sex with you! My body belongs to my husband and there is no way that I could betray him in that way. But what I do from the neck up is a different story.
Nicole Olivier

quarta-feira, junho 28, 2017

Love Forever

“Listen, Sir, I have something to say to you…”
I transferred the rest to her breast
in a kiss which made her laugh
with a kind laugh that was willing… 
(Arthur Rimbaud)


Chtcheglov Pint

quarta-feira, junho 21, 2017

Sem título



"Sexo, Mentiras e Vídeo" de Steven Soderbergh
(...) Percebi que era uma mulher normal, alguns anos mais tarde, quando vi o primeiro filme de Steven Soderbergh. Foi uma revelação. Afinal havia mulheres como eu, mulheres que gostavam de sexo e que não esperavam pelos homens para cumprir os seus desejos. Suspirei de alívio. Ainda por cima, as mulheres desse filme, são só duas, eram muito mais bonitas e interessantes do que aquelas com que me cruzava no bairro e a na universidade. Tal facto consolou-me. Apaixonei-me naturalmente pelo James Spader, o impotente. Ainda hoje, quando penso no assunto, acho que o parceiro ideal para mim devia ser assim, impotente. Nesse Verão pedi à minha mãe que me costurasse um vestido largo, tipo bata, com botões à frente, igual aos que a Andie MacDowell usa no filme. Acreditei que um dia havia de acordar junto de alguém a quem pudesse dizer «parece que vai chover» e que esse alguém saberia encontrar tudo o que essas palavras não dizem. (...)

Ana Cássia Rebelo em "Ana de Amsterdam"
Pag 124

segunda-feira, junho 19, 2017

Lixo Tóxico

 "75% das pessoas que consomem cannabis envolvem-se sexualmente com pessoas do mesmo sexo"- Quintino Aires levantando a questão: "Acha que sem cannabis 75% das pessoas iriam envolver-se sexualmente com pessoas do mesmo sexo?"







Não se compreende que este lixo tóxico não tenha sido enviado para a lixeira mais próxima  da estação televisiva de Queluz de Baixo. Desculpem a minha ignorância. Quem é este senhor?

quinta-feira, junho 15, 2017




Aqui ainda existe um amolador à porta. Neste momento, o amolador está a amolar a tesoura da jardinagem, mais umas quantas facas. Sabe-se que ele vem aí pelo som da gaita de beiços que anuncia a sua presença. É um homem franzino, de cabelos brancos e sorriso fácil. Amolar a tesoura de jardinar já lhe chega para almoçar. Os dois vizinhos da casa ao lado, vinham a passar, tiraram uma fotografia e ficaram até lhe explicarmos a função do amolador. São ingleses. Disseram da semelhança com o universo de Charles Dickens. Nunca tinha pensado nisso. É bom ter vizinhos doutros países que compram casas em Sintra e arredores. São bastantes: alemães, ingleses, franceses (um pintor famoso), com visitantes famosos, sempre anónimos, apenas quem mora aqui sabe das vindas de estrelas de Hollywood, cantores e estrelas do fado nacional. Cada vez há mais casas compradas por estrangeiros. Dizem que a Madonna comprou o Chalet Relógio. Ainda sem confirmação. Mas há mais nomes famosos americanos a interessarem-se por esta zona. Venham! Gostaríamos muito de ter como vizinhos o Leonardo diCaprio, ou a Kate Winslet, ou o Phil Collins. Gente que cuide do Ambiente.

As rochas no jardim cá de casa. São rochas da Serra de Sintra. Com muita lagartixa. Um lagarto enorme, com cores fabulosas é bicho de estimação.  Até uma cobra é moradora. Pássaros habitam as árvores e o por do sol é sempre momento de meditação: A Hora dos Anjos, como lhe chamamos: os anjos da praia de "A Cidade dos Anjos".

quarta-feira, junho 14, 2017

Recado


Daido Moriyama

I've been so many places in my life and time
I've sung a lot of songs I've made some bad rhymes
I've acted out my life on stages
With ten thousand people watching
But we're alone now and I'm singing my song for you

terça-feira, junho 13, 2017





Lolita de  Stanley Kubrick, 1962


"I knew it wasn’t too important, but it made me sad anyway."

J.D. Salinger,

sexta-feira, junho 09, 2017

Desabafo - Ana de Amsterdam

Já o expliquei: escrevo aqui muita mentira, criei uma personagem que, a muitos, causa nojo, a outros bacoca admiração; minto, exagero, invento. Vem a conversa a propósito dos homens que me escrevem a propor casório, a confessar paixões, a pedir encontros e das mulheres que, supondo-me com um pé lá e outro cá, me propõem o maravilhoso mundo do lesbianismo. Às queridas leitoras agradeço a sugestão, mas atrai-me o género fraco, é uma vergonha, bem sei, mas faz-me falta o penduricalho que os homens têm entre as pernas, é um pedaço extraordinário de carne, um músculo magnífico, não há vibrador ou dildo que se lhe compare.
Ana de Amsterdam

continuar a ler Aqui


Foto Nobuyoshi Araki



quarta-feira, junho 07, 2017

O Futuro já não é o que era...











Moda, dança e cinema unidos
Um filme de Daniel Askill para MOVEment.
MOVEment, projecto que reune moda, dança e cinema 
Figurinos Alexander McQueen 
Com. Marie-Agnés Gillot e George Barnett

R.I.P


the2
a tua boca ainda impregnada do frenesim de me teres dentro
num estado de excitação, nessa impaciência.
agachado sobre ti, o penis hirto, os teus cabelos revoltos, digo come-me,
digo come-me. eu a investir, enquanto a tua boca fêmea obedecia aos
meus primitivos desejos.
a tua submissão ao meu desejo, ao meu ritmo.
eu a sentir todo o meu corpo, como se a pele fosse uma mão.
digo volúpia, digo luxuria, digo tesão,
digo must be love.

Pause


Now is not the moment;
The moment is now,
One moment, please
That moment of ecstasy
Still yet to come.

Your silence is so eloquent
Articulating the ambivalence
Inherent in you and I
A continuing discourse
On our deferred sensuality
My only mistake
Is every word
That I ever said
Ensnaring me in your games
But now I will make a play
Do you refuse to act?
No now is not the moment
But the moment is now
We stop;
                  Pause for the moment
Soon the pause
Fills our mouths
Then the room
Rapidly expanding
Blotting out the sun
It penetrates further
Still and deeper
Into the soft core
Of the universe;
Now there is nothing
Between us but
This pause.

Eventually at some,
As yet unidentified,
Point in time
Our mouths will open
Our lips will shape
The words needed
To break this silence
But now is not
That moment;
The moment is now,
Now is

             Just a moment.

Poema encontrado em cakeordeathsite

terça-feira, junho 06, 2017

Vou ver um Filme - As Asas do Desejo de Wim Wenders

Os Anjos de Asas do Desejo, escutam os humanos, falam entre eles, com palavras de Rilke, Kierkegaar, principalmente Rilke.


Agora eu sei o que nenhum anjo sabe


O Anjo

Com um mover da fronte ele descarta
tudo o que obriga, tudo o que coarta,
pois em seu coração, quando ela o adentra,
a eterna Vinda os círculos concentra.
O céu com muitas formas Ihe aparece
e cada qual demanda: vem, conhece -.
Não dês às suas mãos ligeiras nem
um só fardo; pois ele, à noite, vem
à tua casa conferir teu peso,
cheio de ira, e com a mão mais dura,
como se fosses sua criatura,
te arranca do teu molde com desprezo.

Reiner Maria Rilke

Amo este filme. Vou vê-lo hoje, uma outra de outra e outra vez.

Ana de Amsterdam - Livro que ando a ler


Habituei-me à tristeza, que é como a solidão, fere, mas deixa em nós qualquer coisa, bela e única, que não se sabe explicar. Quem não tem dentro de si alguma tristeza e solidão não é gente.
(Ana Cássia Rebelo, Ana de Amsterdam)

Este livro faz parte da série Língua Comum da Quetzal Editora.
Desta série fazem parte livros como:

A Flor Amarela de Anabela Mota Ribeiro
Uma Senhora Nunca de Patrícia Müller
entre outros.
Comprei-os (aos três) há já algum tempo.
Geralmente, tenho montes de livros para ler, assim como filmes para ver.
Gosto de repetir alguns. É o caso deste livro de Ana Cássia Rebelo.

Sempre apreciei a sua escrita no blog que dá nome ao livro.
Foi um amigo que me aconselhou o blog e lembro-me de me dizer:
- lembra-te da canção do Chico Buarque, tem muito a ver -, disse.


segunda-feira, junho 05, 2017

“He’s jealous of the moon, because you look at it. He’s jealous of the sun, because it warms you.

Sarah Lamb e Ricardo Cervera em Wayne MacGregor "Infra" 
 The Royal Ballet

“He’s jealous of the moon, because you look at it. He’s jealous of the sun, because it warms you. I feel you, even when I’m not feeling you. I talk to you when I’m not talking to you. I love you, even when I’m not loving you.”
Basquiat (1996)

Melancolia- Andreas Heumann







Sex is kicking death in the ass while singing.
Charles Bukowski.

Desespero

Despair - Rudolf Koppitz

Desespero

Não eram meus os dedos que tocaram
Tua falsa beleza, em que não vi
Mais que os vícios que um dia me geraram
E me perseguem desde que nasci.

Não fui eu que te quis. E não sou eu
Que hoje te aspiro e embalo e gemo e canto,
Possesso desta raiva que me deu

A grande solidão que de ti espero.
A voz com que te chamo é o desencanto
E o esperma que te dou, o desespero.

Ary dos Santos

sábado, junho 03, 2017

"I see the sun, and if I don’t see the sun, I know it’s there.
And there’s a whole life in that, in knowing that the sun is there."

Fyodor Dostoyevsky in The Brothers Karamazov

E disseram prometo amar-te...

Foto Andreas Heumann


“Eu  
Prometo ser fiel,
Amar-te e respeitar-te
Na alegria e na tristeza,
Na saúde e na doença,
Na riqueza e na pobreza,
Por todos os dias da nossa vida

Até que a morte nos separe”

Todos dançaram ao som da musica escolhida pelo noivo 
e amigos do noivo. 
Viviam um com o outro há alguns anos, mesmo assim,
ele quis oficializar a união, para que tudo ficasse esclarecido.
E são lindos!