quarta-feira, dezembro 30, 2015

Pippin: His Life and Times 1981 - Só para quem gosta















At the goading of the ominous and 
omnipresent Leading Player, Pippin, 
the eldest son of King Charlemagne, 
samples life's pleasures to discover 
his place in the world and 
the meaning of his life.



Pippin, His Life and Times (1981)
Musical
Coreographer: Bob Fosse
The Leading Player : Ben Vereen
Pippin: William Katt

Kodak Khrome por «Um Dia» - O retrato feito em # Um Dia Mostro-te Tudo#


Kodak Khrome


Fode-se em tons pastel com preliminares feitos de conversas inteligentes.
Há que ter uma opinião, conhecer as rosas e preferir os espinhos.
Fode-se ao som da música; sem um estilo particular, terá que ser dançável.
Há que aceitar o turbilhão que nos é oferecido. Contornar o simples e o complexo sem fazer escolhas, porque elas nunca foram feitas, nem bem lá no fundo.
Fode-se com força, mas dá-se espaço à melancolia, às eventuais lágrimas, ora boas, ora más; fazem parte de um íntimo quase indecifrável, capaz de transbordar num olhar desinteressadamente interessado.
Fode-se sentindo mais a pele do que o acto, o abraço do que o suor. Mas teremos de ser capazes de esperar o inesperado, quer traga sorrisos, quer traga tristezas.
Mas há que ter uma opinião, saber-se que um distraído pontapé na estética é capaz de arruinar tudo o resto, sem retorno possível.
Conhecer o Mundo é tão importante como conhecer as páginas de um qualquer livro, seja Kafka, seja Marx, seja até Hélder. O importante é ter uma opinião e não ser estúpido(a).
Fode-se como se de uma revolução se tratasse, seja interior, nossa ou talvez não.

um dia,
 no blog "um dia mostro-te tudo" :)
Bom Ano à Tutti Quanti

terça-feira, dezembro 29, 2015

o Dom

arno rafael minkkinen

A porta abriu-se de repente, tocou-me as costas.
Lá atrás, ninguém. 
NINGUÉM.


I don't know if I get through
I wanna be floating in space


and DEATH asks: are you crazy or what?


talvez a vida seja a morte
e quando a gente morre,
acorda e vive,
com medo de morrer,
quer dizer, de tornar a viver.
(clarice lispector)

and DEATH says:
so I guess i'll be hunting high and low...




Connie Imboden
(Não te peço os exageros de Deus a falar da sua mãe, mas seria tão bom se tivesses alguma coisa agradável para dizer sobre mim. Não seria preciso que mo dissesses cara a cara, bastava que o escrevesses. Depois, quando lesse essas palavras, podia imaginá-las na tua voz)
josé luís peixoto

quarta-feira, dezembro 23, 2015

Diário de Mim











A ele, parecia-lhe que o olhar dos dois se tinha cruzado algures. A ela, parecia-lhe que
ambos  se tinham cruzado algures num mesmo caminho.
Acreditaram que alguns passos na direção um do outro bastariam para sentirem que se pertenciam.
Avanço, seguro-te, prendo-te, apalpo-te: somos íntimos. Diz ele.
Ao longe, há o silêncio da sala onde ele teme que ela se levante e se vá embora.
Ela está na sua frente e olha-o. Fala e transfigura-se.

Ela já não é nova, bem se vê, mas que idade terá?
Conheço a cara dele, bem mais bonito, será que me entende?
Uns quarenta anos? Mais de quarenta? Muito mais?
Deve estar a pensar no meu vestido meio preto, meio transparente. Que idade ele terá?
Ele faz um cálculo confuso. Quantos anos? Não interessa, a idade não parece tê-la marcado.

Ela está na sua frente a olhá-lo. Já, uma vez, quase se conheceram.
De quem herdou semelhante olhar?
Olham-se e entendem a linguagem comum
Desde esse dia, corria o boato de que ele e ela andavam ostensivamente um com o outro.
Era como ambos tivessem caído doutro planeta.
Outros havia que lhe deram o nome de Obsessão.
O sentimento, esse sentimento ou paixão ou amor que sentiam um pelo outro.
Ambos acreditavam que tinham existido antes os dois juntos
noutro lado qualquer em vidas passadas ou passadas vidas.

A ele, parecia-lhe que o olhar dos dois se tinha cruzado algures. A ela, parecia-lhe que
ambos se tinham cruzado algures num mesmo caminho.

Fotos de  Kodak Khrome (Banished from Camelot)
Banda sonora de Kodak Khrome (Beach House)
Palavras de tristan reveur

Amo-te tanto
Também te amo muito

E nada podemos fazer um pelo outro

terça-feira, dezembro 22, 2015

Adagietto


A lembrança de ser quem era vem-me enquanto danço.
Eu era, lembro-me. O melhor entre os melhores.
Fugi da minha terra, lembro-me ainda. Vagamente.
Os meus passos eram dança, não havia mais ninguém no palco a não ser o pano de cena.
Esta doença que não me deixa dançar, como foi acontecer?
Já não sou quem era. Tento. Desisto. Tento. Desisto.
As minhas pernas recusam-se a ..Desisto.

Não posso desistir. Sou o Maior. Sou Grande. Sou Único.
O meu nome é
O meu nome é?
Jorge. Jorge, lembro-me. Vagamente.
Haverá aí alguém que ainda me conheça. Recordação de um dia ter sido eu.
Eu, quem? Donn. Jorge Donn.
Levanto-me. Caio. Forças. Não tenho forças.
Eu dançava assim. Fui um bailarino.

Bailarino. O pano subia. O pano descia. As palmas. Recordo as palmas.
Gente a chorar, a rir, gente a chorar vendo a minha ...
Vendo a minha vida por mais um minuto assim.
Uma hora. Um mês. Não. Um ano. Um ano mais.
A minha vida acabou.
Não posso dançar.
A minha vida acabou.
Não posso dançar.


segunda-feira, dezembro 21, 2015

Man Ray
Não tenho nada a dizer
Cansa-me o dizer de palavras

Estado de Sítio







A Banca portuguesa está por um fio.
A Banca portuguesa não vai resistir.
Não tenham calma.
Façam o que têm a fazer.

Sabem o que é!

O governo anterior sob JULGAMENTO.
Em breve, noutro blog, actualizam-se as notícias.
A União Europeia já era.
A partir de 1 de Janeiro novas medidas de Bruxelas.

Este Governo herdou as trapalhices do governo PSD/CDS, as canalhices,
os negócios escuros, as luvas, as privatizações a custo zero.
Para onde foi o dinheiro?
Quem lucrou com as privatizações?

Impõe-se o julgamento dos anteriores governantes, incluindo o PR


Querem o quÊ?
Pensam o quÊ?

Continuaremos noutro lugar.
Quem sabe sabe, quem não sabe paciência.



And now the stars replaced the sun and there's a woman's face




Crippled by this raw desire
I keep on reaching high and higher
And now the stars replaced the sun
And there's a woman's face
In each and everyone
And it's so blinding